EUA lançam ataques aéreos contra militantes após ataque matinal à Base Aérea de Erbil, no Iraque

Os ataques aéreos ocorreram depois que a base da Força Aérea de Erbil foi atacada na manhã de hoje.

As forças militares dos EUA conduziram vários ataques aéreos contra instalações no Iraque na noite de Natal, de acordo com relatórios divulgados pelo Departamento de Defesa.

O secretário da Defesa, Lloyd Austin, disse que os ataques foram realizados sob a direção do presidente Joe Biden e em resposta aos ataques de grupos contra as forças da coalizão na região. Um desses ataques foi realizado no início de 25 de dezembro na Base Aérea de Erbil, resultando no ferimento de três militares norte-americanos. Segundo nota do Secretário de Defesa, um militar está em estado crítico em decorrência do ataque da Aeronáutica.

“Minhas orações estão com os bravos americanos que foram feridos”, disse Austin em seu comunicado.

“Deixe-me ser claro: o presidente e eu não hesitaremos em tomar qualquer ação necessária para proteger a América, as nossas tropas e os nossos interesses”, continuou a sua declaração. “Não há maior prioridade. Embora não procuremos agravar o conflito na região, estamos determinados e totalmente preparados para tomar as medidas necessárias para proteger o nosso povo e as nossas instalações.”

De acordo com as avaliações iniciais do CENTCOM, as instalações alvo foram destruídas e não houve sinais de vítimas civis.

READ  A UE está atenta e pronta para «tomar medidas fortes»

“Esses ataques visam conter os elementos diretamente responsáveis ​​pelos ataques às forças da coalizão no Iraque e na Síria e reduzir sua capacidade de continuar os ataques”, disse o comandante do Comando Central dos EUA, general Michael Eric Guerrilla, em um comunicado. “Sempre protegeremos nossas forças.”

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Adrian Watson, disse: “O presidente foi imediatamente informado sobre o ataque esta manhã e instruiu o Departamento de Defesa a preparar opções para responder aos responsáveis.”

Em uma ligação posterior com o Sec. Austin ordenou ataques contra três locais usados ​​por Biden, Mantab Hezbollah e grupos afiliados, com foco particular em operações de drones aéreos não tripulados.

“O presidente não dá maior prioridade do que a segurança do pessoal americano que serve em perigo. Se esses ataques continuarem, os Estados Unidos agirão no momento e da maneira que escolhermos”, disse o comunicado de Watson.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *