Presidente do México anunciou que cortará relações diplomáticas com o Equador

QUITO, Equador (AP) – O presidente do México disse na noite de sexta-feira que cortaria relações diplomáticas com o Equador depois que a polícia invadiu a embaixada mexicana em Quito.

O anúncio foi feito depois que policiais equatorianos invadiram a embaixada mexicana em Quito e prenderam o ex-vice-presidente do Equador, Jorge Claus, que estava lá em busca de asilo político, aprofundando o conflito diplomático entre os dois países.

Esta é uma atualização de notícias de última hora. A história anterior da AP está abaixo.

A polícia tenta entrar na Embaixada do México em Quito, Equador, sexta-feira, 5 de abril de 2024, depois que o México concedeu asilo ao ex-vice-presidente equatoriano Jorge Glass, que se refugiou na Embaixada do México em Quito, Equador. A polícia então forçou a entrada na embaixada por outra entrada. (Foto AP/Dolores Ochoa)

Quito, Equador (AP) —

Esta é uma atualização de notícias de última hora. A história anterior da AP está abaixo.

QUITO, Equador (AP) – Policiais equatorianos invadiram a embaixada mexicana em Quito na sexta-feira, prendendo o ex-vice-presidente equatoriano Jorge Claus e refugiando-se na embaixada. O presidente do México declarou o ato uma “violação flagrante do direito internacional e da soberania do México” e cortou oficialmente as relações diplomáticas com o Equador.

A operação ocorreu horas depois de o governo mexicano conceder asilo político a Glass, em meio ao aprofundamento das tensões diplomáticas entre os dois países. Glass é o homem mais procurado do Equador, enfrentando investigações por corrupção, suborno e muito mais.

A polícia arrombou as portas externas da sede diplomática do México na capital equatoriana e entrou no pátio principal.

“O Equador é um país soberano e não vamos permitir que nenhum criminoso seja libertado”, escreveu a presidência equatoriana num comunicado na noite de sexta-feira.

READ  Nas aldeias devastadas pelo terremoto em Marrocos, as equipes de resgate encontraram apenas corpos

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, classificou a detenção como um “ato de ditadura”.

Seu governo “procederá legalmente e anunciará imediatamente a suspensão das relações diplomáticas”, escreveu López Obrador no X, anteriormente Twitter.

Especialistas que observaram as detenções salientaram que a medida constituía uma violação ousada da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas, que poderia provocar uma ruptura definitiva entre os governos do México e do Equador.

“Não é possível, não pode ser, é uma loucura”, disse Roberto Canseco, chefe da unidade consular mexicana em Quito, em frente à embaixada.

Sobre a situação do ex-vice-presidente Klaus e se ele for preso pelas forças gerais, disse: “Sim, entendo que estou muito preocupado porque podem matá-lo; não há base para fazer isso, é completamente fora da norma.

O Ministério das Relações Exteriores do Equador e o Ministério do Interior do Equador não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Associated Press.

A embaixada mexicana em Quito estava sob forte proteção policial na noite de sexta-feira.

Um dia antes, as tensões entre os dois países aumentaram depois que o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, fez declarações de que o Equador estava “muito infeliz” com as últimas eleições, vencidas pelo presidente equatoriano, Daniel Noboa.

Em resposta, o governo equatoriano O embaixador mexicano declarou-se uma pessoa não personificada.

___

Acompanhe a cobertura da AP sobre a América Latina e o Caribe em https://apnews.com/hub/latin-america

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *