O último Boeing 747 sai da fábrica

Mais de duas dezenas de companhias aéreas já se comprometeram a comprar o 747 Mostrado pela primeira vez ao público. Em 1970, o 747 realizou seu primeiro voo comercial, transportando mais de 300 passageiros da Pan Am de Nova York a Londres.

Tornou-se uma sensação pública instantânea. O quadrimotor era bem maior que os demais e cabia centenas de pessoas em fileiras de até 10 assentos. O andar superior, acessado por uma escada em espiral, abrigava um luxuoso lounge. A American Airlines instalou um piano bar na cabine principal.

Os pedidos começaram a chegar, trazendo uma receita muito necessária para a Boeing. Possuir um 747 tornou-se um símbolo de status para as companhias aéreas. Algumas empresas compraram a aeronave mesmo não sendo adequada para suas necessidades.

A razão mais importante pela qual as companhias aéreas compraram o avião foi porque o 747 ajudou a manter os custos baixos. Como o avião pode transportar mais passageiros em uma única viagem, as companhias aéreas podem vender passagens mais baratas, tornando as viagens aéreas acessíveis para as pessoas.

A Boeing produziu várias versões do avião nas décadas de 1970 e 1980 para diferentes aplicações e melhorou o quanto ele poderia carregar e até onde poderia voar. Em 1989, a empresa lançou uma grande atualização, o 747-400, que se tornou o modelo mais vendido da companhia aérea. A Boeing vendeu mais 747s na década de 1990 do que em qualquer outra década.

Mas, à medida que os aviões se tornaram populares, o mundo começou a se mover.

Aviões bimotores menores e mais eficientes agora podem voar distâncias maiores. Seu pequeno tamanho significa que as companhias aéreas podem oferecer rotas internacionais diretas entre cidades menores. como St. Louis e Frankfurt.

READ  Jill Biden tropeça ao convidar vencedores (e perdedores) da NCAA para a Casa Branca

Em meados dos anos 90, a Boeing lançou o 777, que era quase tão grande quanto o 747. Com dois motores, era mais avançado e eficiente. Uma década depois, o principal concorrente da Boeing, a Airbus, lançou o A380, que transporta mais passageiros que o 747. Mas a Airbus lutou para vender o avião. Anunciando o fim da produção Em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *