COLUNAS

Perigos com Produtos Tóxicos

POSTADO EM 17 ABR 2012 por: Coluna dos Bichos Horizonte MS Perigos com Produtos Tóxicos

Muitas pessoas pensam que manter um animal de estimação saudável em sua casa não precisa de tanta observação. Pois estou aqui para mostrar exatamente o contrário! Assim como uma criança pequena, recém nascida ou adolescente tem suas preocupações, os animais de estimação (cães e gatos de qualquer raça) também possuem.

PRODUTOS TÓXICOS - Na época de Páscoa, todos se lembram dos perigos de chocolates feitos para humanos podem culminar em animais como cães e gatos. No entanto, devemos estar cientes que não é só o chocolate que pode agredir os animais de companhia.
As intoxicações são muito comuns na rotina das clínicas veterinárias. A causa mais frequente é o uso de medicamentos humanos para os animais. Muitas vezes, na melhor das intenções, o proprietário do animal provoca uma grave intoxicação ao medicá-lo com um “simples remédio para dor”.
Além de produtos extremamente tóxicos, existem inúmeras substâncias potencialmente perigosas para os bichinhos, dentro de nossas próprias casas. Tudo depende da quantidade ingerida (ou aplicada ao animal) versus o peso do cachorro ou gato.

REMÉDIOS

Antinflamatórios não esteróides (diclofenaco, ibuprofeno, aspirina, paracetamol (Tylenol) entre outros: Os animais podem apresentar alterações digestivas (vomitos e diarreia), hepáticas e renais. O quadro pode ser muito grave, levando ao óbito.
Inseticidas (para controle de pulgas, carrapatos, ratos, baratas e cupins): os produtos a base de piretrina e permetrina (talcos, shampoos, sabonetes e coleiras) são seguros se corretamente utilizados, mas não devem ser utilizados concomitantemente na hora do banho, no corpo do animal e na casa por aumentar muito o risco de intoxicação. Os produtos para tratar sarna, amitraz, por exemplo, devem ser diluídos corretamente e utilizados somente em cães. Se no rótulo ou bula do produto não for especificado o uso em gatos, NÃO utilize.

ALIMENTOS

Sabemos que os animais devem receber uma dieta adequada e balanceada. Alguns proprietários oferecem comida caseira ao invés de ração industrializada. Isto é possível, mas é fundamental formular esta dieta com um veterinário. As necessidades nutricionais são diferentes entre as espécies. Alguns alimentos humanos são potencialmente tóxicos como:

Chocolate: além de ser rico em gordura, contém cafeína e teobromina que são estimulantes do sistema nervoso central. Os diferentes tipos de chocolate contém diferentes níveis destas substâncias. O animal pode apresentar Vômito, diarreia e até convulsão em casos graves.

Uvas passas: A ingestão de 10 a 12 uvas para um cão de 10Kg pode levar a insuficiência renal. As passas são aproximadamente 5 vezes mais concentradas que as uvas frescas, logo devem ser evitadas.

Cebola: Pode causar hemólise (destruição de hemácias) em gatos. Evite oferecer alimentos que contenham cebola (sopinha para bebês, por exemplo)

PRODUTOS QUÍMICOS

Drogas ilícitas (maconha, cocaína) e alcool: intoxicam os seres humanos e podem levar a quadros graves nos animais. NUNCA ofereça bebidas alcóolicas para seu animal de estimação, ele pode apresentar alterações hepáticas graves.

Produtos de limpeza: evite usar e não enxaguar. Os produtos que são muitos perfumados atrapalham o olfato, independente de causar intoxicação nos animais. Lembre-se que seu animal vive pertinho do chão, não usa sapatos e se lambe constantemente! A creolina é usada na limpeza de ambientes, mas pode ser extremamente tóxica e causar irritação e queimaduras na pele, olhos, boca e garganta; vômitos e dores abdominais; danos ao coração, fígado e rins; anemia; paralisia facial, coma e até levar a morte.

Produtos de obras: Tinta, resinas, colas, solventes, etc. Evite deixar seu animal em casa, se estiver em obras.

Cloro: Evite que seu animal de estimação beba água da piscina. Dependendo da concentração de cloro na água, pode causar vômitos e irritação gástrica.

PLANTAS

Mais de 700 plantas foram identificadas provendo substâncias fisiologicamente ativas ou tóxicas em quantidades suficientes para causar efeitos nocivos aos animais. Determinadas plantas produzem uma variedade de substâncias tóxicas e são capazes de provocar desde uma náusea leve à morte.
Cães e gatos tendem a ser mais sensíveis às plantas venenosas, devido ao seu tamanho e metabolismo. Porém, em sua maioria, todo caso de toxicação requer tratamento veterinário imediato, sendo fundamental para prevenir os efeitos secundários que o veneno possa causar.
Se você suspeitar que seu cão ou gato pode ter comido alguma planta classificada como tóxica, contate seu veterinário imediatamente!
Segue abaixo as principais plantas populares que são tóxicas à cães e gatos:

Alamanda (Allamanda cathartica)
A parte tóxica é a semente.

Antúrio (Anthurium sp)
As partes tóxicas são folhas, caule e látex.

Arnica (Arnica Montana)
A parte tóxica é a semente.

Arruda (Ruta graveolens)
A parte tóxica é a planta toda.

Avelós (Euphorbia tirucalli L.)
A parte tóxica é toda a planta.

Beladona (Atropa belladona)
As partes tóxicas são flor e folhas.
Antídoto: Salicilato de fisostigmina.

Bico de papagaio (Euphorbia pulcherrima Wiild.)
A parte tóxica é toda a planta.

Buxinho (Buxus sempervires)
A parte tóxica é são as folhas.

Comigo ninguém pode (Dieffenbachia spp)
As partes tóxicas são as folhas e o caule.

Copo de leite (Zantedeschia aethiopica Spreng.)
A planta é toda tóxica.

Coroa de cristo (Euphorbia milii)
A parte tóxica é o látex.

Costela de Adão (Monstera deliciosa)
As partes tóxicas são as folhas, caule e látex.

Cróton (Codieaeum variegatum)
A parte tóxica é a semente.

Dedaleira (Digitalis purpúrea)
As partes tóxicas são flor e folhas.

Espada de São Jorge (Sansevieria trifasciata)
A parte tóxica é toda a planta.

Espirradeira (Nerium oleander)
A parte tóxica é a planta toda.

Esporinha (Delphinium spp)
A parte tóxica é a semente.

Fícus (Ficus spp)
A parte tóxica é o látex.

Jasmim manga (Plumeria rubra)
As partes tóxicas são flor e látex.

Jibóia (Epipremnun pinnatum)
A parte tóxica são as folhas, caule e látex.

Lírio da paz (Spathiphylum wallisii)
As partes tóxicas são as folhas, caule e látex.

Mamona (Ricinus communis)
A parte tóxica é a semente.

Olho de cabra (Abrus precatorius)
A parte tóxica é a semente.

Pinhão paraguaio (Jatropha curcas)
As partes tóxicas são semente e fruto.

Pinhão roxo (Jatropha curcas L.)
As partes tóxicas são as folhas e frutos.

Saia branca (Datura suaveolens)
A parte tóxica é semente.

Saia roxa (Datura metel)
A parte tóxica é semente.

Samambaia (Nephrolepis polypodium). Existem vários tipos de samambaias e outros nomes científicos. Essa é apenas um exemplo, todas são tóxicas.
A parte tóxica são as folhas.

Taioba brava (Colocasia antiquorum Schott)
A parte tóxica é toda a planta.

Tinhorão (Caladium bicolor)
A parte tóxica é toda a planta.

Vinca (Vinca major)
As partes tóxicas são a flor e folhas.


O tratamento das intoxicações deve ser sempre realizado por um médico veterinário e não é recomendado o uso de “receitas caseiras” como administrar leite, clara de ovo, fazer lavagem gástrica, etc. Lembre-se que quanto antes o animal for atendido, melhor o prognóstico.
O veterinário avaliará a necessidade de internação para o tratamento de suporte (hidratação, controle de Vômitos, sedação) e se possivel, a utilização de antídotos e/ou medicação para diminuir a absorção da substância tóxica.

Por Gabrielle de Castro


Referências:
http://www.cachorroverde.com.br/proibidos.php
http://www.cybercanine.com/toxicplants.htm
http://www.humanesociety.org/
http://www.aspca.org/
http://www.dogpack.com/

VEJA TAMBÉM

ENQUETE

Michel Temer presidente: com uma série de propostas impopulares para resolver, Temer vai conter a crise econômica?
sim
nao